PMIs da China mostram que condições econômicas estão se deteriorando

quinta-feira, 1 de outubro de 2015 08:53 BRT
 

Por Xiaoyi Shao e Kevin Yao

PEQUIM (Reuters) - A atividade do vasto setor industrial da China encolheu novamente em setembro, com a demanda doméstica e no exterior mais fraca, alimentando temores de que a segunda maior economia do mundo pode estar desacelerando com mais rapidez do que esperado há alguns meses.

A atividade em indústrias maiores e estatais encolheu pelo segundo mês seguido, embora a um rimo mais lento que em agosto, enquanto as menores apontaram as piores condições em seis anos e meio.

"Dois meses seguidos de contração do setor industrial com mercado acionário em queda sugerem que o crescimento da China no terceiro trimestre deve ter desacelerado para 6,4 por cento", disseram economistas da ANZ.

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) oficial da indústria subiu para 49,8 em setembro ante 49,7 no mês anterior, mas ainda sugere que as condições estavam se deteriorando.

O PMI do Caixin/Markit, que foca em indústrias pequenas, mostrou uma desaceleração ainda mais forte, com o PMI encolhendo a 47,2, menor nível desde março de 2009. Leituras abaixo de 50 sinalizam contração.

O Markit informou na quinta-feira que vai descontinuar sua leitura preliminar do PMI da indústria da China, mas ainda divulgará o relatório final.

Talvez de forma mais preocupante para o governo e os investidores são os crescentes sinais de estresse no setor de serviços da China, que responde por cerca de metade do PIB.

Embora as empresas maiores de serviços tenham continuado a se expandir a um ritmo sólido de 53,4 em setembro, segundo o PMI oficial, as menores mostraram pouca expansão, com o PMI do Caixin/Markit chegando a 50,5.

 
Homem decorando parque com bandeiras chinesas em Pequim.  29/09/2015  REUTERS/China Daily