Moody's vê distribuidoras de energia do Brasil pressionadas, apesar de tarifaço

quinta-feira, 1 de outubro de 2015 10:35 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A atual seca no Brasil vai continuar a pressionar a liquidez financeira de concessionárias de distribuição de energia elétrica ao longo de 2016, disse a agência de classificação de risco Moody's em relatório divulgado nesta quinta-feira.

Segundo a Moody's, os aumentos extraordinários de tarifas neste ano e a adoção das bandeiras tarifárias, que permitem uma cobrança extra junto aos consumidores em períodos em que o custo da energia está mais elevado, "aliviaram algum estresse das posições de liquidez das empresas, mas não resolveram o problema" do setor.

"O impacto de custos associados à seca que não estão sendo totalmente cobertos pelas tarifas é evidente", disse o vice-presidente da Moody's e executivo sênior de crédito José Soares. "Segundo nossas estimativas, 22,4 por cento das dívidas de companhias de distribuição em junho de 2015 estavam financiando ativos regulatórios líquidos".

A agência espera ainda que liminares judiciais obtidas por operadores de hidrelétricas e consumidores contra custos do sistema deverão pesar ainda mais sobre as distribuidoras, ampliando os ativos regulatórios dessas empresas.

"Cobrir os custos de operação vai se tornar mais desafiador para as distribuidoras, conforme dívidas em vencimento e grandes necessidades de capital de giro vão comprometer as posições de liquidez", disse a Moody's em relatório sobre o segmento de distribuição de energia brasileiro.

(Por Luciano Costa)