Dólar sobe 1% ante real com exterior; incerteza política deixa mercado sensível

quinta-feira, 1 de outubro de 2015 13:33 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar ampliou a alta para cerca de 1 por cento nesta quinta-feira, voltando a 4 reais, com o quadro político incerto no Brasil deixando o mercado mais sensível à piora do humor nos mercados externos.

A moeda norte-americana vinha alternando entre leves altas e baixas desde o início da sessão, na medida em que a atuação do Banco Central e a perspectiva de reforma ministerial atenuou a pressão sobre o câmbio.

Às 13:30, o dólar avançava 0,93 por cento, a 4,0025 reais na venda. Na mínima da sessão, atingiu 3,9378 reais e, na máxima, foi a 4,0145 reais.

Na véspera, a moeda norte-americana recuou mais de 2 por cento, reagindo a esperanças de apaziguamento nas tensões entre o Palácio do Planalto e o Congresso, mas ainda marcou em setembro a terceira alta mensal consecutiva.

"Houve uma leve piora no exterior e o mercado aqui está muito sensível a qualquer pressão de alta", disse o operador da corretora Spnielli José Carlos Amado.

As bolsas norte-americanas ampliaram as perdas no início da tarde e os preços do petróleo passaram a cair. O movimento se refletiu em algumas moedas emergentes, com o dólar praticamente anulando as perdas contra os pesos chileno e mexicano.

O real, no entanto, foi mais afetado, com investidores nervosos depois de o Congresso adiar para a próxima terça-feira a análise dos vetos presidenciais, que têm impacto sobre o reequilíbrio das contas públicas.

Os atritos entre o Legislativo e o Executivo têm deixado o mercado nervoso, principalmente em meio aos esforços da oposição pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Em outra frente da oposição contra Dilma, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) volta a analisar nesta quinta-feira uma ação que pede a cassação do mandato da presidente, já com maioria favorável à continuidade da ação.   Continuação...