Dólar sobe ante real após dados fracos sobre emprego nos EUA

sexta-feira, 2 de outubro de 2015 10:57 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar avançava sobre o real nesta sexta-feira, após dados fracos sobre o mercado de trabalho nos Estados Unidos alimentarem preocupações com a saúde da maior economia do mundo, o que se somava, no Brasil, às incertezas políticas e econômicas locais.

Às 10:31, o dólar avançava 0,63 por cento, a 4,0278 reais na venda. Na máxima do dia, chegou a 4,0425 reais.

"O problema é a economia (dos EUA). Economia fraca é ruim para mercados emergentes", disse o economista da 4Cast Pedro Tuesta. "Onde você vai vender seus produtos? E se não conseguir vender, como vai conseguir crescer?"

O setor privado norte-americano, excluindo o setor agrícola, criou 142 mil postos de trabalho no mês passado, enquanto os dados para agosto foram revisados para mostrar ganho de apenas 136 mil vagas. Foi o menor avanço em dois meses em mais de um ano, alimentando temores de que a desaceleração do crescimento econômico global, influenciada pela China, esteja enfraquecendo os EUA.

No entanto, a perspectiva de que a fraqueza econômica nos EUA possa levar o Federal Reserve, banco central norte-americano, a subir os juros somente em 2016 fazia o dólar recuar contra uma cesta de divisas formada por moedas de países desenvolvidos, mais resistentes à desaceleração da economia dos EUA.

Imediatamente após a divulgação do dado, o dólar caiu 0,59 por cento, atingindo 3,9786 reais na mínima da sessão, mas o movimento durou pouco. A moeda norte-americana também avançava em relação a outras moedas emergentes, como os pesos chileno e mexicano.

No Brasil, as incertezas políticas e econômicas, em meio a intensos atritos entre o Palácio do Planalto e o Congresso que vêm dificultando o reequilíbrio das contas públicas, corroborava o avanço do dólar. Os investidores também estavam de olho na divulgação da reforma ministerial pela presidente Dilma Rousseff nesta manhã.

"O mercado está muito sensível, não precisa ser uma operação grande para fazer cotação", disse o operador de um banco internacional.

O Banco Central dará continuidade nesta manhã à rolagem dos swaps cambiais que vencem em novembro, com oferta de até 10.275 contratos, que equivalem a venda futura de dólares.

(Por Bruno Federowski)

 
Casa de câmbio no Rio de Janeiro. 24/09/2015 REUTERS/Sergio Moraes