CCR entra em aeroportos nos EUA e mira mais aquisições, no Brasil e no exterior

segunda-feira, 5 de outubro de 2015 07:06 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Após a compra da prestadora norte-americana de serviços aeroportuários TAS, na sexta-feira, a CCR segue à espreita para possíveis novas oportunidades de aquisições no Brasil e no exterior, afirmaram executivos da companhia.

"Não estamos fechados para avaliar novos negócios fora do Brasil", disse à Reuters o diretor de Novos Negócios da CCR, Leonardo Vianna.

Embora relativamente modesto em relação ao valor de mercado da CCR, de cerca de 21 bilhões de reais, o negócio fechado por 21,7 milhões de dólares intensifica a busca por receita no exterior. Desde 2011, a CCR comprou fatias em administradoras de aeroportos no Equador, na Costa Rica e Curaçao.

Com a TAS, as receitas da companhia no exterior devem ficar próximas de 10 por cento do total. A receita da TAS para 2015 é estimada em cerca de 60 milhões de dólares.

Para Vianna, no entanto, potenciais novos investimentos fora do Brasil não devem envolver grande comprometimento financeiro, nem partir do zero (greenfield).

O investimento aconteceu no mesmo dia em que a CCR anunciou uma redução de 35,5 por cento no dividendo intermediário que havia sido anunciado pela companhia em agosto, citando o cenário econômico do país.

No Brasil, a empresa vê as maiores oportunidades em projetos de mobilidade urbana. Mas ativos de construtoras financeiramente enfraquecidas pelos desdobramentos da operação Lava Jato também estão no radar, disse Vianna.

"Estamos prestando atenção em alguns ativos", disse

(Por Aluisio Alves)