Banco Mundial corta previsão de expansão para leste asiático e cita China e EUA como riscos

segunda-feira, 5 de outubro de 2015 11:14 BRT
 

Por Masayuki Kitano

CINGAPURA (Reuters) - O Banco Mundial cortou suas perspectivas de crescimento de 2015 e 2016 para o Leste da Ásia e Pacífico, e disse que o cenário é afetado pelo risco de uma desaceleração forte na China e possíveis repercussões de um esperado aumento da taxa de juros dos Estados Unidos.

O banco agora espera que o crescimento na região, que inclui a China, seja de 6,5 por cento em 2015 e 6,4 por cento em 2016, ante 6,8 por cento em 2014.

A previsão anterior, de abril, era de 6,7 para este ano e o próximo.

"O cenário base para o crescimento regional está sujeito a um grau de incerteza maior do que o usual, e os riscos estão pesando para o lado negativo", disse o Banco Mundial em seu último relatório sobre a região nesta segunda-feira.

"Em particular, a incerteza engloba a trajetória, e as repercussões, do reequilíbrio econômico da China e da esperada normalização da política de taxa de juros dos Estados Unidos."

O Banco Mundial disse que as revisões para baixo das previsões para o crescimento da região refletem principalmente uma moderada desaceleração na economia da China, país para o qual o banco vê crescimento de 6,9 em 2015 e 6,7 por cento em 2016, contra 7,3 por cento em 2014.

A previsão anterior era de que a China cresceria 7,1 por cento em 2015 e 7 por cento em 2016.