BC britânico mantém taxa de juros e vê cenário fraco para inflação

quinta-feira, 8 de outubro de 2015 08:56 BRT
 

LONDRES (Reuters) - Os membros do banco central britânico votaram por 8 a 1 pela manutenção da taxa de juros na mínima recorde de 0,5 por cento neste mês, e a maioria viu um cenário relativamente fraco para a inflação, sugerindo não têm pressa para elevar os juros.

O Banco da Inglaterra apontou que as pressões de custo no mercado de trabalho britânico estavam subindo muito lentamente para a inflação voltar à sua meta de 2 por cento, especialmente dada a força da libra, e que a inflação deve ficar abaixo de 1 por cento até a primavera (no hemisfério norte) de 2016.

A inflação britânica recuou para zero em agosto, mas as autoridades estavam confiantes de que o crescimento doméstico robusto e a redução do efeito das grandes quedas dos preços do petróleo no ano passado podem fazê-la se recuperar de volta para a meta de 2 por cento no próximo ano.

Dados oficiais sobre o crescimento do custo da unidade de trabalho mostraram crescimento de 2,2 por cento no segundo trimestre de 2015, mais do que o dobro da taxa que o banco central havia estimado anteriormente, mas o BC disse que isso exagerava a verdadeira força das pressões de custo.

Um dos nove membros do Comitê de Política Monetária, Ian McCafferty, não concordou com a maioria e votou por um aumento de 0,25 ponto percentual pelo terceiro mês seguido, dizendo que a inflação provavelmente vai ultrapassar a meta devido ao aumento das pressões de custos domésticos.

Na quarta-feira o Instituto Nacional de Pesquisa Econômica e Social estimou que o crescimento trimestral caiu para 0,5 por cento nos três meses até setembro, ante 0,7 por cento no trimestre anterior, mas manteve a previsão de 2,5 por cento para o ano de 2015.

O Banco da Inglaterra disse que espera crescimento de 0,6 por cento no terceiro trimestre.

(Por David Milliken e Ana Nicolaci da Costa)