Rating soberano da China pode resistir ao crescimento mais lento, diz Moody's

quinta-feira, 8 de outubro de 2015 09:21 BRT
 

LONDRES (Reuters) - O rating de crédito soberano da China pode resistir ao crescimento mais lento e à maior volatilidade à frente, disse o analista sênior de pesquisa da Moody's Rahul Ghosh em Londres nesta quinta-feira.

A Moody's atualmente classifica a China como Aa3 com perspectiva estável, e projeta crescimento do PIB de 6,8 por cento em 2015 e de 6,3 por cento em 2016, em linha com as projeções do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Gosh disse que os créditos corporativos chineses no universo de ratings da Moody`s, que cobre cerca de 200 companhias e bancos, devem ser capazes de absorver "muito bem" mais uma depreciação futura de 5 a 10 por cento do iuan.

Um total de 22 companhias têm alta dependência de dívidas em moeda estrangeira, em setores como metais, mineração e aço e petróleo e gás. Entretanto, produtores de petróleo e gás têm um hedge cambial natural já que suas receitas são denominadas em dólar, disse Gosh.

Em áreas como o mercado imobiliário, entretanto, existe probabilidade maior de defasamento das moedas já que recebem a maioria de suas receitas em iuan.

"Em um cenário de mais uma desvalorização de 10 por cento, haverá algum impacto nas métricas de crédito para empresas imobiliárias", disse Ghosh.

Sobre os bancos chineses, Stephen Long, do grupo de instituições financeiras do Moody`s, disse que embora exista uma clara deterioração na qualidade dos ativos e um aumento da inadimplência, isso será compensado pelos lucros sólidos e suporte do governo.

O Moody`s tem perspectiva estável para o setor bancário da China.

(Reportagem de Claire Milhench e Marc Jones)