Bancos centrais não pode mais salvar o mundo, diz Grupo dos 30

sábado, 10 de outubro de 2015 17:18 BRT
 

LIMA (Reuters) - Em 2008, os bancos centrais liderados pelo Federal Reserve foram ao resgate do sistema financeiro global. Sete anos e trilhões de dólares depois, eles já não têm as respostas e podem até representar um grande risco para a economia global.

Um relatório do Grupo dos Trinta, órgão internacional liderada pelo ex-presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet, alertou neste sábado que taxas zero e impressão de dinheiro não foram suficientes para retomar o crescimento económico e adotando medidas arriscadas quase permanentemente.

"Os bancos centrais têm descrito suas ações como 'compra de tempo para os governos resolverem a crise ... Mas o tempo está passando e as compras tiveram o seu preço", diz o relatório.

Nos Estados Unidos, o Fed terminou o seu programa de compra de títulos em 2014, e podia começar a elevar as taxas de juro em junho passado. Mas pode ter dificuldade para fazer a primeira alta em quase 10 anos até dezembro. As apostas futuras apostam que esse movimento acontecerá apenas em março de 2016.

O Banco da Inglaterra também atrasou, enquanto o Banco Central Europeu parece fadado a implementar uma nova rodada de flexibilização, como faz o Banco do Japão, que está preso nesse processo desde 2001.

A Reuters calcula que os bancos centrais desses mercados ter passado de 7 trilhões de dólares em compras de títulos. O fluxo de dinheiro levantou os preços de ativos como ações e imóveis em muitos países, mesmo sem promover crescimento econômico.

Com estimativas de crescimento tendendo mais baixo e dinheiro fácil aumentar a alavancagem da empresa, a leitura de uma armadilha da dívida está agora assombrando economias avançadas, o Grupo dos Trinta disse.

(Reportagem de David Chance)