Importação de soja pela China cai pelo 2º mês após recorde em julho

terça-feira, 13 de outubro de 2015 10:48 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - As importações chinesas de soja subiram 44,3 por cento em setembro ante um ano atrás, para 7,26 milhões de toneladas, estimuladas pela oferta barata da América do Sul, embora os desembarques tenham recuado pela segunda vez consecutiva na comparação mensal, mostraram dados da alfândega nesta terça-feira.

Entretanto, sobre agosto houve queda de 6,7 por cento nas importações, e a desaceleração do ritmo de compras da China após o volume recorde em julho deve ser um problema para os exportadores norte-americanos, que normalmente vendem 40 por cento de sua safra para o país asiático, principalmente no último trimestre do ano.

O movimento também pode pressionar ainda mais os preços da commodity em Chicago, que já estão perto de mínimas de seis anos e meio.

O volume adicional de compras no Brasil e na Argentina tomou fatia de mercado da soja dos Estados Unidos, embora a demanda esteja se recuperando, disse o analista Yang Linqin, da Cofco Futures.

"A (crescente) demanda da China deslocou-se para a América do Sul. Mas o ritmo de compras de soja dos EUA nas últimas cinco semanas está crescendo e nós esperamos que a velocidade vá crescer nas próximas semanas. No momento, as margens de esmagamento estão bastante boas, depois que a demanda por farelo de soja subiu, o que pode estimular mais negócios", disse Yang.

No acumulado do ano, as compras de soja pela China têm sido fortes. Nos nove primeiros meses, as importações subiram 13 por cento, para 59,65 milhões de toneladas, um recorde para o período, segundo dados da Administração Geral da Alfândega.

Veja tabela com dados de importações chinesas, em inglês:

(Por Niu Shuping e David Stanway)