Chuvas irregulares em Mato Grosso emperram avanço do plantio de soja

terça-feira, 13 de outubro de 2015 15:56 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - As chuvas irregulares, característica do Centro-Oeste em anos de El Niño, estão provocando apreensão nos produtores de soja de Mato Grosso, principal Estado agrícola do país, embora ainda não existam sinais de prejuízo ao volume a ser colhido.

O relatório mais recente do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) mostra que 6,1 por cento da área está semeada no Estado, 2,3 pontos percentuais atrasada ante o mesmo estágio da safra 2014/15, que já estava atrás do ciclo 2013/14.

Segundo a Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja MT), as áreas que avançaram no plantio são aquelas onde houve boas chuvas, mas trata-se apenas de regiões isoladas.

"Dentro do município de Sapezal, por exemplo, tem lugar em que choveu 150 a 200 milímetros e outros em que choveu 20 milímetros", relatou o diretor técnico da entidade, Nery Ribas.

Alguns poucos produtores, que têm grandes áreas para semear e indisponibilidade de máquinas para concentrar o plantio, estão arriscando plantar na terra seca, na torcida de que as chuvas cheguem logo, relatou Ribas.

De maneira geral, no entanto, os produtores estão bastante cautelosos, esperando a regularização das chuvas, para evitar perder as sementes e incorrer em custos duplicados.

"É muito risco você plantar sem chuvas. O custo (com insumos) está muito alto", avaliou o diretor da Aprosoja.

A semana será marcada pelo tempo firme e com possibilidade apenas de pancadas de chuvas muito isoladas, dificultando o pleno andamento do plantio da soja, disse nesta terça-feira o agrometeorologista Marco Antônio dos Santos, da Somar.

"As chuvas só deverão retornar... na semana que vem", destacou ele, em boletim.   Continuação...