AB Inbev e SABMiller acertam acordo de mais de US$100 bilhões

terça-feira, 13 de outubro de 2015 18:22 BRT
 

Por Philip Blenkinsop e Martinne Geller

BRUXELAS/LONDRES (Reuters) - As duas maiores cervejarias do mundo concordaram nesta terça-feira em formar um grupo ainda maior, responsável por um terço da cerveja produzida no mundo. O acordo ocorreu depois que a SABMiller recebeu uma oferta melhorada da rival maior AB InBev avaliada em mais de 100 bilhões de dólares.

Se for concluída, a transação será a quinta maior fusão da história corporativa global e a maior aquisição já feita de uma companhia do Reino Unido.

O novo grupo vai unir as marcas Budweiser, Stella Artois e Corona, da AB InBev, com as marcas Peroni, Grolsch e Pilsner Urquell, da SABMiller. Para a AB InBev, a compra também adiciona cervejarias na América Latina, Ásia e abre novos mercados na África.

A AB InBev é parcialmente controlada pelo fundo de private equity 3G Capital, administrado por investidores brasileiros, e controla indiretamente a brasileira Ambev, cujas ações despencavam nesta terça-feira.

Analistas do BTG Pactual afirmaram em nota a clientes que o papel da Ambev no acordo segue indefinido. "A AB InBev informou que a transação será financiada por uma combinação de próprios recursos internos financeiros e nova dívida com terceiros. Mas o anúncio da transação não descarta participação de subsidiárias no acordo", escreveram os analistas.

Procurada, a Ambev não comentou o assunto. A AB InBev afirmou apenas que se trata "de uma transação envolvendo a AB InBev".

O negócio também representa uma dúvida sobre o futuro de um acordo de produção e distribuição da SABMiller acertado em outubro do ano passado com o brasileiro Grupo Petrópolis, que produz a cerveja Itaipava. Ambos os grupos não comentaram sobre o assunto nesta terça-feira. A AB InBev afirmou que "vai trabalhar junto com as autoridades relevantes na busca de soluções apropriadas para todas as potenciais análises regulatórias".

Enquanto isso, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), afirmou que ainda não foi notificado oficialmente do acordo entre AB InBev e SABMiller e que por isso não vai se pronunciar por ora. Atualmente, a Ambev controla cerca de 68 por cento do mercado brasileiro de cerveja, segundo dados do final do segundo trimestre.   Continuação...