Inflação da China em setembro fica mais fraca que o esperado

quarta-feira, 14 de outubro de 2015 07:10 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - A inflação ao consumidor na China desacelerou mais que o esperado em setembro, enquanto os preços ao produtor ampliaram a queda pelo 43º mês seguido, ampliando as preocupações sobre as pressões deflacionárias na segunda maior economia do mundo.

O índice de preços ao consumidor avançou 1,6 por cento em setembro ante o ano anterior, informou nesta quarta-feira a Agência Nacional de Estatísticas (NBS, na sigla em inglês), contra expectativa de alta de 1,8 por cento e da alta registrada em agosto, de 2,0 por cento.

Em um sinal de demanda fraca, o índice excluindo alimentos foi ainda mais fraco, chegando a uma taxa anual de 1,0 por cento em setembro.

O resultado se deveu principalmente à base de comparação forte no ano passado, disse o estatístico da NBS Yu Qiumei, em comunicado. O índice avançou 0,5 por cento na comparação mensal em setembro de 2014, contra 0,1 por cento no mês passado.

Refletindo as crescentes pressões sobre as empresas chinesas provenientes da demanda fraca e do excesso de capacidade, as fábricas continuaram a cortar os preços de venda.

O índice de preços ao produtor recuou 5,9 por cento ante o ano anterior, em linha com as expectativas e a mesma taxa de queda vista em agosto, quando havia marcado a maior queda desde o ápice da crise financeira global em 2009.

(Reportagem de Xiaoyi Shao e Nicholas Heath)