Alta dos juros nos EUA seria mais problemática para economia global do que antes, diz BCE

quinta-feira, 15 de outubro de 2015 08:37 BRT
 

FRANKFURT (Reuters) - A alta da taxa de juros dos Estados Unidos pode ter repercussões globais maiores do que no passado e afetar a zona do euro mais em alguns aspectos do que o mercado doméstico, afirmou nesta quinta-feira o vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Vitor Constancio.

Um alta dos juros pelo Federal Reserva teria um impacto maior porque os mercados emergentes, particularmente a China, estão mais integrados à economia global do que antes, os países estão mais interligados na produção, o fluxo de capital internacional têm aumentado e a orientação futura se tornou um instrumento crucial de política monetária, disse Constancio.

O Fed decidiu manter a taxa de juros em setembro mas autoridades têm dito repetidamente que os EUA estão no curso para uma alta ainda este ano, com alguns sugerindo ação já em outubro.

Uma dificuldade adicional é o fato de que bancos centrais não têm experiência em elevar taxas de juros após um período prolongado em zero, então terão que aprender através da prática, sem total entendimento de como economias e mercados podem responder, disse Constancio em conferência em Hong Kong.

"No geral, evidências até sugerem que os efeitos da política monetária dos EUA pode ser maior (sobre a zona do euro) do que os efeitos domésticos nos EUA", disse Constancio.

(Reportagem de Balazs Koranyi)

 
Vice-presidente do Banco Central Europeu, Vitor Constancio, durante encontro em Frankfurt.   04/07/2013   REUTERS/Ralph Orlowski