Goldman Sachs vê poucas chances de alta do petróleo em 2016

quinta-feira, 15 de outubro de 2015 09:27 BRT
 

LONDRES (Reuters) - O diretor de pesquisas de commodities do banco Goldman Sachs, Jeff Currie, um tradicional pessimista sobre o mercado de commodities, disse nesta quinta-feira que não vê os preços do petróleo superando o patamar de 50 dólares por barril no ano que vem, mas que as chances de as cotações caírem para 20 dólares são menores que 50 por cento.

Um persistente excesso de oferta, somado à desaceleração da China e de outros mercados emergentes, além de um dólar mais forte irão criar dificuldades suficientes para manter os preços do petróleo Brent abaixo de 50 dólares por barril nos próximos 12 meses, disse.

O Goldman prevê crescimento da demanda global de petróleo em 1,62 milhão de barris por dia (bpd) este ano e de 1,28 milhão bpd em 2016, criando um excedente de 400 mil bpd que precisará ser eliminado para haver uma recuperação dos preços acima dos níveis atuais.

"Um mercado substancialmente sobreofertado torna muito mais difícil completar o processo de ajuste para um avanço, mas também reforça nossa visão de que há chances de as cotações caiam para 20 dólares, que é onde atingimos restrições de capacidade de estocagem", disse Currie em uma conferência de imprensa.

"Eu coloco a chance (de uma queda para 20 dólares) abaixo de 50 por cento", acrescentou.

Os contratos futuros do petróleo Brent, que perderam metade do valor no último ano, eram negociados em cerca de 49 dólares por barril nesta quinta-feira.

(Por Amanda Cooper)