Liquidação financeira de contratos de energia na CCEE tem calote recorde de 56%

quinta-feira, 15 de outubro de 2015 18:22 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A liquidação financeira do mercado de curto prazo de eletricidade referente a julho e agosto registrou uma inadimplência recorde de 56,34 por cento, o que representa 2,4 bilhões de reais, dos 4,27 bilhões de reais envolvidos na operação, informou a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) nesta quinta-feira.

Segundo a CCEE, a maior parte do calote, ou 2,2 bilhões de reais, deve-se à obtenção de liminares por agentes do mercado que se protegem do déficit de geração das hidrelétricas, prejuízo este que seria rateado não fossem as decisões judiciais provisórias.

De acordo com a CCEE, se desconsideradas as liminares, a inadimplência real seria de 4,72 por cento do total envolvido na operação.

O mercado esperava um "rombo" de até 90 por cento, depois de a última liquidação, realizada em setembro, registrar uma inadimplência de quase 50 por cento e a CCEE enfrentar um número cada vez maior de liminares por parte das empresas.

"É menos ruim do que se imaginava, mas não é para comemorar", afirmou à Reuters o presidente da comercializadora de energia Comerc, Cristopher Vlavianos.

Para o especialista, o temor em relação à inadimplência fez com que as empresas negociassem energia com desconto no mercado livre para não ter créditos a receber na liquidação da CCEE, o que provavelmente ajudou a reduzir a inadimplência.

"Diminui o próprio valor envolvido na liquidação. A expectativa era de que fosse por volta de 5 bilhões de reais", disse Vlavianos.

Para Andrew Frank, presidente da comercializadora América Energia, a situação do mercado é "insustentável" se as liminares seguirem em vigor.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) tenta costurar um acordo para compensar parcialmente as perdas das hidrelétricas com a seca, em troca de as empresas retirarem as liminares. Mas as negociações vêm se arrastando e causando incertezas quanto às liquidações na CCEE.   Continuação...