Dólar sobe quase 2% sobre o real por apreensão com cena política local

sexta-feira, 16 de outubro de 2015 18:40 BRT
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em alta de quase 2 por cento em relação ao real nesta sexta-feira, acima de 3,87 reais, pressionado pelo quadro local de incertezas políticas e econômicas.

O dólar avançou 1,92 por cento, a 3,8735 reais na venda. A moeda norte-americana acumulou alta de 3,05 por cento na semana, após despencar 4,74 por cento na semana anterior.

"Os problemas políticos são motivos suficientes para reverter aquela tranquilidade que vimos nos últimos dias", disse o operador da corretora Intercam Glauber Romano.

Uma fonte de incerteza é a que a previsão de receita com a recriação da CPMF, vista como vital pelo governo para equilibrar as contas públicas no próximo ano, não será considerada pelo relator da proposta Orçamentária para 2016, deputado Federal Ricardo Barros (PP-PR).

Diante disso, segundo fontes oficiais disseram à Reuters, o governo considera elevar outros impostos, como a Cide, mas com potencial para pressionar a inflação.

Além disso, quatro fontes do governo informaram à Reuters que o país deve desistir da meta de superávit primário equivalente a 0,15 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) no orçamento deste ano e reconhecer que as contas serão deficitárias.

As turbulências políticas no Brasil também seguem cada vez mais fortes, com indefinições sobre o eventual início do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff golpeando a credibilidade do país aos olhos dos investidores internacionais.

Especulações de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estaria pressionando Dilma a demitir o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, corroboraram o mau humor dos investidores nesta sessão. Levy, de formação ortodoxa, tem encabeçado a campanha de reequilíbrio das contas públicas brasileiras.   Continuação...

 
Casa de câmbio no Rio de Janeiro. 24/09/2015 REUTERS/Sergio Moraes