Bovespa reduz ganhos no fechamento com ruído sobre Levy e recua mais de 4% na semana

sexta-feira, 16 de outubro de 2015 18:14 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou com o seu principal índice em leve alta nesta sexta-feira, mas longe da máxima da sessão, com ruído sobre demissão do ministro da Fazenda Joaquim Levy no final do pregão praticamente anulando os ganhos nos ajustes finais da sessão.

O Ibovespa subiu 0,16 por cento, a 47.236 pontos. O volume financeiro somou 6,55 bilhões de reais.

Na semana, mais curta em razão do feriado, o índice de referência do mercado acionário brasileiro acumulou queda de 4,26 por cento.

A alta na segunda etapa do dia, que chegou a 1,2 por cento, foi amparada principalmente no avanço de papéis como Ambev e BRF e na melhora de Wall Street, apesar da aflição persistente com a situação fiscal e política do país.

Mas a divulgação na versão online da coluna Radar da revista Veja de que Levy teria preparado uma carta de demissão e que deveria apresentar o pedido ainda nesta sexta-feira à presidente Dilma Rousseff minou a retomada na bolsa paulista.

A Agência Estado publicou negativa do Ministério da Fazenda sobre a existência de uma carta de demissão do ministro, mas, na Bovespa, o efeito foi limitado. Após reunião com a presidente da República e outros ministros no Palácio do Alvorada, Levy não comentou sobre uma eventual carta de demissão.

Desde cedo, o pregão foi contaminado por notícias no sentido de nova revisão de metas fiscais e rumores envolvendo Levy, com dados econômicos reforçando o cenário macroeconômico debilitado no país.

Pela manhã o Ibovespa tocou a mínima, em queda de 1,37 por cento.   Continuação...