Williams, do Fed, vê alta de juros nos EUA como adequada no futuro próximo

segunda-feira, 19 de outubro de 2015 18:01 BRST
 

SAN FRANCISCO (Reuters) - A economia dos Estados Unidos tem um bom ímpeto e, apesar dos fortes ventos contrários do exterior que têm segurado a inflação baixa, o Federal Reserve, banco central dos EUA, deve começar a elevar a taxa de juros no "futuro próximo", disse nesta segunda-feira o presidente do Fed de San Francisco, John Williams.

"Eu realmente vejo o momento de começar a subir juros no futuro próximo, da minha perspectiva", disse Williams em uma entrevista à TV Bloomberg.

A economia dos EUA provavelmente vai crescer cerca de 2 por cento ou 2,25 por cento no próximo ano, projetou ele, ritmo rápido o suficiente para levar a taxa de desemprego "bem abaixo" de 5 por cento e começar a levar a inflação de volta ao objetivo do Fed, de 2 por cento.

Apesar de que as altas de juros devem ser graduais, de maneira a continuar colocando mais pessoas na força de trabalho e pressionar o fraco crescimento de salário, ele disse: "nós não queremos uma economia de alta pressão para sempre porque nós vimos nos anos 1990 e 2000, que quando você tem uma economia insustentável, eventualmente as coisas dão errado, então queremos evitar isso".

Investidores ao redor do mundo têm expressado frustração com as mensagens mistas do banco central dos EUA nas últimas semanas. A chair do Fed, Janet Yellen, e outros membros disseram esperar que uma alta de juros seja necessária até o fim do ano, mas dois membros na semana passada pediram cautela. O Fed tem mantido os juros perto de zero há sete anos.

Questionado se Yellen terá que lidar com um motim relativo a alta dos juros, Williams disse "absolutamente não". A decisão, disse ele, será baseada em dados econômicos. Com bons argumentos tanto a favor como contra a alta de juros, a decisão tem sido, e permanece, "apertada".

Williams se recusou a dizer quando ele gostaria de ver o Fed começar a normalizar a política, apesar de ter parecido mais cauteloso do que defendendo a manutenção de juros baixos por muito tempo.

"Conforme a economia fica mais forte, ficou mais forte, nós não precisamos de todo esse expansionismo para frente e eu acho que há alguns custos em ter taxas de juros muito baixas", disse.

Williams, que é membro votante nas decisões de política monetária do Fed até o fim do ano, se recusou a descartar uma alta de juros na próxima reunião, dizendo que ouviria os pontos de vista de seus colegas quando se encontrarem em Washington na terça e quarta-feira da próxima semana.

(Por Ann Saphir)