Sinopec negocia compra de fábrica na China por US$3 bi, dizem fontes

terça-feira, 20 de outubro de 2015 11:22 BRST
 

Por Chen Aizhu

PEQUIM (Reuters) - A gigante de energia e estatal chinesa Sinopec está em negociações avançadas para adquirir o controle da companhia petroquímica Dragon Aromatics, que opera uma das maiores fábricas de produtos químicos do país, disseram três fontes com conhecimento da matéria.

As negociações vieram após a petroquímica independente sofrer com o segundo incêndio em menos de dois anos em sua instalação de 3 bilhões de dólares em Fujian e fontes disseram que autoridades locais querem que a Sinopec participe antes de permitir que a fábrica reabra.

Essa postura mostra como Pequim está colocando pressão sobre as províncias para garantir melhores padrões de segurança industrial e proteger o meio ambiente após uma série de acidentes levarem a população a se opor a ter fábricas perto de suas casas.

A Dragon Aromatics, controlada pela taiwanesa Xianglu Group, foi forçada a fechar a planta com capacidade de produção de 1,6 milhões de toneladas de paraxileno por ano, um produto químico usado para fabricar fibra de poliéster e plásticos, após o incêndio em abril.

"Isso é o que o governo local tem insistido: sem a participação da Sinopec a planta não terá permissão para voltar às operações", disse uma das fontes, que se recusou a fornecer seu nome devido à sensibilidade das discussões.

A Sinopec poderia adquirir uma parcela de até 80 por cento, acrescentou a fonte.

O porta-voz da Sinopec Lu Dapeng não quis comentar.

Uma autoridade sênior da Dragon Aromatics disse que ele não estava em posição para comentar as conversações em nível de Conselho, mas disse à Reuters que a companhia estava "tentando de todos os modos retomar a produção da planta o quanto antes."