Devolução de cheques sobe em setembro e atinge maior nível para o mês desde 1991

quarta-feira, 21 de outubro de 2015 11:45 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A inadimplência em cheques subiu em setembro para 2,21 por cento, no maior patamar já registrado para o mês desde o início das medições pela empresa de análise de informações de crédito Serasa Experian, informou a companhia nesta quarta-feira.

O número de cheques devolvidos em setembro somou 1,213 milhão de um total de 54,8 milhões compensados, segundo a Serasa. O número é 2 por cento mais alto que o volume de cheques sem fundos registrado em setembro do ano passado e cerca de 4 por cento maior que as devoluções apuradas em agosto.

No acumulado de janeiro ao fim de setembro, a taxa de devolução de cheques é de 2,19 por cento, segundo maior percentual para o período da série histórica iniciada em 1991. A maior taxa ocorreu em 2009, com 2,22 por cento, enquanto em 2014 o índice havia sido de 2,07 por cento.

"O agravamento da situação econômica do país com o aprofundamento da recessão, elevação das taxas de desemprego, inflação e juros está levando a inadimplência com cheques a bater recordes históricos este ano", afirmaram economistas da Serasa em comunicado à imprensa.

(Por Alberto Alerigi Jr.)