Caminhões e mercado chinês impulsionam lucro da GM no 3º tri

quarta-feira, 21 de outubro de 2015 13:26 BRST
 

DETROIT (Reuters) - A General Motors teve lucro antes de impostos recorde no terceiro trimestre, com a forte demanda por caminhões na América do Norte e melhoras das margens de lucro na China ofuscando a queda das receitas.

A GM publicou lucro de 1,50 dólar por ação no trimestre, alta de 55 por cento na comparação com um ano atrás e bem acima dos 1,18 dólar por ação da média de expectativa de analistas de Wall Street consultados pela Thomson Reuters I/B/E/S.

O robusto trimestre da GM contrastou com os resultados decepcionantes de outras grandes empresas norte-americanas, que enfrentam desaceleração do crescimento na China e a queda das receitas devido à valorização do dólar.

Para a GM, um importante motivo para o sucesso foi a América do Norte, onde a gasolina mais barata impulsionou a crescente demanda por picapes e veículos esportivos, segmento nos quais a empresa é dominante.

A montadora gerou 72 por cento de suas receitas trimestrais na América do Norte, onde as margens atingiram um recorde de 11,8 por cento.

Na China, a fatia da GM no lucro da joint-venture no trimestre caiu para 463 milhões de dólares ante 484 milhões de dólares um ano atrás, mas as margens de lucro subiram para 9,8 por cento ante 9,6 por cento, refletindo vendas dos veículos de luxo e esportivos, mais caros.

No entanto, as receitas da GM no trimestre caíram 1,3 por cento, para 38,8 bilhões de dólares, principalmente devido ao impacto do dólar valorizado. A GM disse que as receitas teriam sido 2,3 bilhões de dólares mais altas se o câmbio tivesse permanecido constante.

No trimestre, a GM teve 1,5 bilhão de dólares em despesas relacionados a um acordo com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos investigando um recall por problemas de ignição em alguns de seus automóveis. Incluindo as multas, o lucro líquido totalizou 1,36 bilhão de dólares, ou 0,84 dólar por ação, versus 1,47 bilhão de dólares, ou 0,81 dólar por ação.

(Por Joseph White e Bernie Woodall)