China deve reduzir compras de milho para estoques estatais e encorajar processamento

quinta-feira, 22 de outubro de 2015 10:27 BRST
 

PEQUIM (Reuters) - A China poderá comprar cerca de 50 por cento menos milho para estoques estatais na temporada 2015/16 na comparação com o ciclo anterior, com governos locais oferecendo subsídios para encorajar indústrias a usar mais grãos produzidos no país, disseram analistas da indústria.

Uma alta nas compras locais por processadores chineses pode reduzir o apetite por importação, reduzindo preços globais.

O governo chinês irá comprar entre 40 milhões e 50 milhões de toneladas de milho para estoques estatais no período de seis meses de aquisições que começa no mês que vem, ante 83 milhões em 2014/15, disseram os analistas.

Ainda assim, as compras deverão elevar os estoques totais de milho no país para cerca de 200 milhões de toneladas, ou cerca de 20 milhões de toneladas a mais que o consumo de um ano inteiro no país.

A China, segundo maior consumidor global de milho, manterá sua controversa política de estocagem por mais um ano, antes de mudar para uma liberdade total dos preços domésticos.

"O volume de compras do governo será menor. Mais e mais governos locais irão oferecer subsídios para processadores de milho, que irão elevar o uso de milho doméstico", disse um analista de um órgão oficial de pesquisas de mercado.

(Por Niu Shuping e Dominique Patton)