BCE sinaliza revisão de política em dezembro e mantém programa de estímulos

quinta-feira, 22 de outubro de 2015 12:04 BRST
 

Por Balazs Koranyi

VALETA (Reuters) - O Banco Central Europeu (BCE) deixou as taxas de juros e seu programa de impressão de dinheiro inalterados na reunião desta quinta-feira, e o presidente do banco, Mario Draghi, disse que vai reavaliar em dezembro o que mais pode fazer para combater a inflação baixa.

A queda nos preços das commodities e as preocupações com os mercados emergentes estão pesando sobre as perspectivas econômicas, disse Draghi.

Em entrevista à imprensa, Draghi afirmou que o banco vai completar integralmente seu programa de compra de ativos de 60 bilhões de euros por mês e ressaltou que pode prorrogá-lo para além de setembro de 2016 como parte dos esforços para impulsionar o crescimento na zona do euro e levar a inflação para mais próximo de sua meta de perto de 2 por cento.

Mas em um pedido direto aos governos da zona do euro para darem seu apoio a uma recuperação ainda hesitante na região, ele enfatizou que a política monetária "não deve ser a única saída".

"As políticas fiscais devem sustentar a recuperação econômica, mantendo-se em conformidade com as regras fiscais da UE", disse.

A decisão do BCE de manter as taxas de juros em mínimas recordes era amplamente esperada antes da reunião das autoridades na capital de Malta, Valeta. A atenção estava voltada particularmente para pistas sobre se o BCE está pronto para ampliar ou prorrogar o programa de compra de títulos lançado em março.

Ainda que alguns membros do BCE tenham argumentado que o banco deveria alterar o programa de compra de ativos agora, a maioria acredita que as medidas de estímulo precisam de mais tempo para funcionar, já que seus efeitos positivos estão apenas começando a ser transmitidos.

Draghi enfatizou esse argumento, dizendo que embora permaneçam os riscos para a inflação e ao crescimento, análises mais profundas são necessárias antes de tomar mais ações.   Continuação...