BC da China corta taxas de juros de novo para impulsionar economia

sexta-feira, 23 de outubro de 2015 14:12 BRST
 

Por Koh Gui Qing

PEQUIM (Reuters) - O banco central da China cortou as taxas de juros pela sexta vez desde novembro nesta sexta-feira, e reduziu mais uma vez o volume de dinheiro que os bancos precisam deter como reservas em outra tentativa de impulsionar a economia.

A China tem conduzido neste ano seu mais agressivo ciclo de afrouxamento de política monetária desde a crise financeira global de 2008/09, uma vez que o crescimento deve desacelerar para abaixo de 7 por cento este ano, ritmo mais lento em 25 anos.

E para destacar a tentativa da China de aprofundar as reformas financeiras, que muitos acreditam serem necessárias para revigorar a economia, o Banco do Povo da China disse que está liberalizando o mercado de taxa de juros ao retirar um teto sobre as taxas de depósito.

A mudança, que Pequim havia prometido por meses, vai em teoria permitir que os bancos precifiquem os empréstimos de acordo com seu risco, e remova uma distorção no preço do crédito que analistas dizem alimentar investimentos supérfluos na China.

O afrouxamento da política monetária da China aconteceu um dia após o Banco Central Europeu dizer que pode dar um impulso de política monetária maior ainda à economia já em dezembro, para combater a queda dos preços.

"Nós temos metade dos bancos centrais do mundo em modo de estímulo", disse o chefe de operações do ETX Capital, Joe Rundle. "E, provavelmente, vamos ver mais afrouxamento da China."

O banco central informou em seu site que reduziu a taxa de empréstimo bancário de um ano em 0,25 ponto percentual, para 4,35 por cento, decisão que entra em vigor em 24 de outubro. A taxa de depósito referencial de um ano também foi reduzida em 0,25 ponto, para 1,50 por cento.

O banco central também cortou a taxa de compulsório pela quarta vez neste ano. A redução foi de 0,50 ponto percentual para todos os bancos, chegando a 17,5 por cento para os maiores. Os bancos que emprestam para empresas agrícolas e pequenas empresas receberam outra redução de 0,50 ponto na taxa de compulsório.   Continuação...