Brasil fecha 95.602 vagas de trabalho em setembro, pior resultado para o mês em 23 anos

sexta-feira, 23 de outubro de 2015 18:41 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - O Brasil fechou 95.602 vagas formais de trabalho em setembro, no pior resultado para o mês desde o início da série histórica, iniciada em 1992, e num desempenho muito pior que o esperado, em um cenário de forte recessão da economia e baixa confiança.

Analistas consultados pela Reuters viam o fechamento de 65 mil empregos, conforme mediana das expectativas.

O desempenho no mês foi negativo de maneira generalizada, impactado principalmente pelas demissões líquidas no setor de serviços (-33.535), construção civil (-28.221), comércio (-17.253) e indústria da transformação (-10.915), segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados pelo Ministério do Trabalho nesta sexta-feira.

De janeiro a setembro, foram perdidos 657.761 postos no país, na série com ajuste, num dado que ilustra a deterioração do mercado de trabalho num ambiente de economia em recessão, com juros e inflação em alta.

No acumulado em 12 meses, as demissões líquidas chegaram a 1,239 milhão de vagas, também na série com ajuste.

Na véspera, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a taxa de desemprego permaneceu em 7,6 por cento em setembro, ante expectativa de que fosse subir a 7,8 por cento.

A estabilidade, contudo, não indica melhora no atual cenário, já que a redução da procura por vagas reflete o desânimo do trabalhador em conseguir uma colocação.

Para além da fraqueza na atividade, a aguda crise política vem minando a confiança de empresários e consumidores e também deixando em segundo plano a votação pelo Congresso de medidas de ajuste fiscal.

(Por Marcela Ayres)

 
Homem observa anúncios de vagas de trabalho no centro de São Paulo. 19/03/2015 REUTERS/Paulo Whitaker