País tem que corrigir gargalos para ser mais atrativo, diz Shell Brasil

segunda-feira, 26 de outubro de 2015 18:02 BRST
 

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Brasil precisa trabalhar para tornar o setor de petróleo e gás mais atrativo para investimentos, como outros países têm feito, em meio aos baixos preços do petróleo, afirmou nesta segunda-feira o presidente de petroleira anglo-holandesa Shell no Brasil, André Araújo.

Sem citar exemplos, o executivo afirmou que existem "muitos gargalos" que precisam ser corrigidos para que investidores compreendam que o Brasil é um bom país para investir. O executivo não citou especificamente quais os pontos que podem ser aprimorados.

Para Araújo, o setor no país está pessimista, mas as oportunidades são grandes e as empresas devem colaborar no diálogo para aumentar a atratividade no segmento.

"É muito fácil dizer que está tudo ruim... Tentar lidar com isso no Brasil é difícil", afirmou o executivo, ao participar de debate em evento no Centro de Pesquisas da GE, no Rio de Janeiro.

Ele lembrou que as empresas no mundo todo estão adequando seus investimentos, e ressaltou que a Shell tem aportes altos para serem realizados, inclusive no Brasil.

A anglo-holandesa fez um acordo neste ano para comprar a britânica BG, uma das maiores produtoras de petróleo do Brasil.

Entretanto, ponderou que precisa lutar para que esses investimentos não sejam reduzidos.

"O Brasil tem que se tornar mais atraente, sei que vários (países) estão fazendo o mesmo", afirmou Araújo.   Continuação...