Argentina impõe novas restrições cambiais antes de segundo turno das eleições

terça-feira, 27 de outubro de 2015 19:15 BRST
 

Por Jorge Otaola

BUENOS AIRES (Reuters) - A Argentina reduziu pela metade nesta terça-feira a quantidade diária de dólares que as empresas podem transferir para o exterior sem autorização, disseram operadores de câmbio, enquanto o órgão regulador de seguros do país colocou novos limites sobre a quantidade de ativos em moeda forte que as seguradoras pode deter.

As decisões aparentemente se devem ao sucesso da oposição em conseguir levar as eleições presidenciais para um segundo turno, o que poderia aumentar a pressão sobre o banco central para sustentar o peso, apesar das reservas internacionais estarem em nível baixo.

Um porta-voz do banco central disse que não estava ciente do novo limite para as transferências de dólar. Mas quatro operadores do mercado de câmbio disseram que o banco central argentino chamou os bancos comerciais para passar verbalmente a instrução para reduzir a 75 mil dólares o limite diário que uma única empresa pode transferir para fora da Argentina sem autorização prévia.

"É uma nova ação que intensifica o controle estatal sobre a moeda. Terá impacto, em particular para os importadores", disse um dos operadores, que pediu para não ser identificado porque não está autorizado a falar com a imprensa.

Não ficou claro por quanto tempo a medida irá permanecer em vigor.