Heineken lucra nas Américas e com verão mais quente na Europa

quarta-feira, 28 de outubro de 2015 10:34 BRST
 

Por Philip Blenkinsop

BRUXELAS (Reuters) - A Heineken, terceira maior cervejaria do mundo, disse nesta quarta-feira que suas receitas e volumes de cerveja cresceram mais do que o esperado no terceiro trimestre, devido às fortes vendas nas Américas e pelo verão mais quente na maior parte da Europa.

A holandesa Heineken, que tem a cerveja mais vendida na Europa, disse que suas receitas cresceram 8 por cento no terceiro trimestre para 5,51 bilhões de euros, acima da previsão média de 5,31 bilhões de euros de pesquisa da Reuters com 10 analistas.

As ações da Heineken já subiram cerca de 36 por cento até o momento neste ano, o ganho mais forte do setor, mesmo considerando o recente salto nas ações da SABMiller devido à oferta de aquisição feita pela AB InBev, as duas líderes mundiais do setor.

A Heineken disse que vendeu muito mais cerveja no México e no Brasil, e também foi bem-sucedida em atrair consumidores para a Heineken lager, cerveja com preço mais alto. Na Europa, o volume subiu 7 por cento sobretudo devido a um tempo melhor, como as altas temperaturas na França e na Itália comparado com 2014 quando, por exemplo, a Áustria foi atingida por enchentes.

A empresa manteve sua projeção de crescimento da receita, com os volumes aumentando num ritmo mais lento do que em 2014.

A Heineken tem como objetivo também uma melhora de 0,4 ponto percentual em sua margem operacional, apesar de ter dito que pode não alcançar a meta em 2015 devido à venda de sua unidade mexicana de embalagem.

Entretanto, ela agora vê impostos e taxas de juros menores, embora o impacto positivo do câmbio possa ser reduzido. Para o lucro operacional, o benefício seria de cerca de 75 milhões de euros este ano, abaixo dos 130 milhões de euros anteriormente previstos.

(Por Robert-Jan Bartunek e Philip Blenkinsop)