Premiê da China sugere que país precisa de crescimento mínimo de 6,5%, diz Bloomberg

quinta-feira, 29 de outubro de 2015 07:29 BRST
 

XANGAI (Reuters) - O primeiro-ministro da China, Li Keqiang, afirmou que o país precisa de crescimento anual de ao menos 6,53 por cento ao longo dos próximos cinco anos, segundo reportagem da Bloomberg citando fontes não identificadas.

Líderes chineses estão reunidos em Pequim para decidir sobre a meta de crescimento econômico para os próximos cinco anos. Um documento oficial deve ser publicado nesta quinta-feira.

Segundo a Bloomberg, as declarações de Li foram feitas em um discurso para membros do Partido Comunista em 23 de outubro. Elas circularam bastante nas mídias sociais chinesas nesta quinta-feira, mas nenhuma menção às declarações apareceu na mídia estatal.

A meta mais recente da China para o PIB anual de 2015 é de cerca de 7 por cento. A economia cresceu 6,9 por cento no terceiro trimestre sobre um ano antes.

O anúncio da nova meta de crescimento é aguardada com expectativa como um sinal se a China planeja avançar com as reformas agressivas --o que resultaria em crescimento mais lento-- ou se buscará manter taxas de expansão mais altas para se proteger do risco de um pouso forçado.

(Reportagem de Pete Sweeney)