Via Varejo tem prejuízo de R$46 mi no 3º tri com queda de vendas

quinta-feira, 29 de outubro de 2015 09:19 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A empresa de móveis e eletroeletrônicos Via Varejo, dona das bandeiras Casas Bahia e Ponto Frio, teve prejuízo no terceiro trimestre com queda do faturamento diante da redução das vendas e menor diluição das despesas fixas e despesas relacionadas com reestruturação.

A companhia teve prejuízo de 46 milhões de reais entre julho e setembro, ante lucro líquido de 216 milhões de reais no mesmo período de 2014.

A receita líquida totalizou 4,095 bilhões de reais no período, queda de 22,7 por cento na comparação anual. No conceito "mesmas lojas" (abertas há mais de 12 meses), a redução foi de 24,6 por cento.

Sem considerar as despesas de reestruturação da companhia, que somaram 119 milhões de reais, o lucro líquido teria sido de 33 milhões de reais no terceiro trimestre, segundo a empresa.

"O terceiro trimestre de 2015 foi um período de forte retração do consumo, atingindo o menor Índice de Confiança do Consumidor da série histórica da FGV Ibre", disse a Via Varejo em seu relatório de resultados.

As despesas gerais e administrativas somaram 117 milhões de reais, queda de 6,4 por cento na comparação com a mesma etapa do ano passado.

"A companhia deu continuidade as medidas de otimização de custos durante todo o terceiro trimestre, o que permitiu intensificar, a partir de setembro, a competitividade comercial", disse a empresa.

Entre as medidas tomadas, a Via Varejo citou o fechamento de 31 lojas no terceiro trimestre com altos custos operacionais e margem de contribuição negativa, totalizando 36 fechamentos no ano, excluindo aqueles ligados a determinação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

A empresa também citou o fechamento de um centro de distribuição e de cinco entrepostos para otimizar a malha logística e a renegociação de aproximadamente 40 por cento do total dos contratos de aluguel.   Continuação...

 
Loja das Casas Bahia, bandeira da Via Varejo, no Rio de Janeiro.   04/12/2009  REUTERS/Sergio Moraes