Nardes cobra rapidez do Congresso sobre pedaladas fiscais para definir situação do governo

quinta-feira, 29 de outubro de 2015 14:57 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O relator do processo de avaliação das contas de 2014 do governo federal no TCU, ministro Augusto Nardes, cobrou nesta quinta-feira um rápido posicionamento do Congresso Nacional sobre as manobras fiscais do governo que podem resultar em última instância no afastamento da presidente Dilma Rousseff.

Para Nardes, o Congresso precisa votar logo as contas do governo porque há um desejo e um anseio da sociedade em saber se Dilma permanece no governo ou passará por um processo de impeachment.  

O Tribunal de Contas da União recomendou ao Congresso a rejeição das contas de 2014 do governo devido, entre outros pontos, às chamadas pedaladas fiscais --atraso no repasse de recursos para bancos públicos para cobrir gastos com programas do governo.

“O Congresso não pode demorar muito tempo porque a sociedade precisa de uma decisão, ou seja, em relação a situação do governo, se ele permanece ou muda”, disse Nardes a jornalistas após palestra no Rio de Janeiro.

“A sociedade está na expectativa de uma decisão do Congresso e quanto mais rápida a decisão acontecer, será melhor para a sociedade”, acrescentou Nardes, que durante a palestra se emocionou ao falar da pressão que viveu durante o processo de análise das contas governamentais.

O governo espera uma definição do TCU se poderá parcelar o pagamento dos recursos referentes às pedaladas fiscais ou se terá que fazer isso de uma vez só.

Nesta manhã, o secretário do Tesouro Nacional, Marcelo Saintive, afirmou que há um potencial de abatimento da meta de resultado primário de 2015 de 50 bilhões de reais referentes às pedaladas, indicando a possibilidade de um déficit de 110 bilhões de reais no ano. [nL1N12T1MV]

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

 
Ministro Augusto Nardes, do Tribunal de Contas da União, durante sessão do órgão, em Brasília. 07/10/2015 REUTERS/Adriano Machado