Tribunal italiano diz que não há provas contra executivo do UniCredit

sábado, 31 de outubro de 2015 12:42 BRST
 

FLORENÇA (Reuters) - Um tribunal italiano disse neste sábado que não há provas que apoiem as acusações de que executivos do maior banco do país em ativos, o UniCredit, teriam ajudado um empresário que supostamente teria ligações com a máfia da Sicília, segundo documentos da corte.

O vice-presidente do Conselho do UniCredit, Fabrizio Palenzona, e outros dois executivos estão sob investigação de promotores que atuam contra a máfia.

Mas um tribunal de Florença anulou neste sábado os mandados de busca e apreensão, dizendo que não há evidências que suportem as acusações de fraude e ajuda à máfia.

“O tribunal não pode fazer mais nada além de reconhecer que o mandado de busca e apreensão, anulado hoje, era baseado no nada”, disse o advogado de Palenzona, Massimo Dinoia, em comunicado.

Promotores alegam que o executivo e dois colegas do banco ajudaram a realizar a reestruturação da dívida de Andrea Bulgarella, um empresário acusado pelos promotores de ter ligações com Matteo Messina Denaro, um dos homens mais procurados do país.

Mas a corte de Florença disse neste sábado que o UniCredit nunca aprovou plano algum de reestruturação da dívida do grupo de Bulgarella.

(Por Silvia Ognibene)