BM&FBovespa abre negociações com Cetip para possível fusão

terça-feira, 3 de novembro de 2015 09:56 BRST
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A BM&FBovespa anunciou nesta terça-feira que vem mantendo tratativas preliminares com a Cetip para formular aos respectivos Conselhos de Administração uma proposta de combinação das duas companhias.

"Não se pode assegurar que tais tratativas resultarão em uma oferta ou transação de qualquer natureza", afirmou a BM&FBovespa, em fato relevante. "Não existe, neste momento, qualquer proposta sobre a estrutura econômica ou societária ou sobre outros termos e condições de uma eventual transação", afirmou a empresa.

Maior operadora de bolsas da América Latina e uma das maiores do mundo, a BM&FBovespa há tempos vem sofrendo com a fraqueza do mercado de capitais brasileiro, o que tem se refletido no fraco volume de negócios, além de empresas se deslistando do pregão e escassez de novas estreias.

Com isso, mesmo sem concorrência e aplicando um controle de despesas, a empresa tem tido dificuldades para manter a rentabilidade, após ter feito um investimento bilionário nos últimos anos para unificar suas clearings, que segundo o presidente da operadora, Edemir Pinto, deixou a BM&FBovespa pronta para suportar o crescimento do mercado nos próximos 15 a 20 anos.

Recentemente, Edemir sinalizou planos de expandir a atuação na América Latina com a compra de participações em bolsas da região.

O anúncio desta terça-feira vem após constantes especulações de que BM&FBovespa e Cetip estariam se preparando para entrar no mercado uma da outra, o que tem sido frequentemente negado por ambas as empresas.

Maior central depositária de títulos privados da América Latina, a Cetip tem parte das receitas derivada de custódia, clearing e negociação desses papéis, além da unidade de registro de gravames, registros de financiamento de veículos.

A BM&FBovespa, que já mantinha alto volume de caixa, ampliou ainda mais seus recursos disponíveis com a venda, em setembro, de 20 por cento das ações que detinha na operadora norte-americana de bolsas de valores CME Group, numa operação estimada em cerca de 323 milhões de dólares.

Procurada, a Cetip não comentou de imediato o anúncio da BM&FBovespa.

O mercado de compra e venda de participação societária no Brasil está ganhando força no final deste ano diante de um cenário cada vez mais firme de prolongada fraqueza econômica do país. Além do anúncio da BM&FBovespa, na véspera, a Hypermarcas anunciou a venda de sua divisão de cosméticos para a Coty por 3,8 bilhões de reais.