Câmbio impulsiona exportação recorde de milho e café do Brasil em outubro

terça-feira, 3 de novembro de 2015 18:17 BRST
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO (Reuters) - O Brasil exportou um volume recorde de 5,55 milhões de toneladas de milho em outubro, superando em 40 por cento a marca histórica anterior, registrada dois anos antes, em um momento em que o câmbio desvalorizado favorece a competitividade dos produtos agrícolas brasileiros.

Os embarques de café também foram recordes no mês passado, mostraram nesta terça-feira dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

Na comparação com o mês de setembro, os embarques de milho subiram 61 por cento, com as exportações brasileiras do cereal caminhando para níveis históricos na temporada. O Brasil é o segundo exportador global do produto, atrás dos Estados Unidos.

A escala recente de navios previstos para carregar o cereal nos portos brasileiros em novembro mostrava que o ritmo forte deverá continuar, com carregamentos previstos de 5,3 milhões de toneladas do cereal este mês, 148 por cento acima do previsto um ano atrás para novembro de 2014.

"O preço recebido pelo milho exportado segue superior aos registrados atualmente no mercado spot (físico no interior do país), que se encontra em alta", destacou a Esalq em relatório semanal, ressaltando os efeitos do câmbio para a atratividade das vendas nos portos.

O dólar foi negociado perto de 4 reais ao longo de todo o mês de outubro, após romper 4,20 reais no fim de setembro, marcando o maior patamar já registrado.

A competitividade do milho brasileiro é apontada como um dos fatores que têm prejudicado as exportações de grãos dos Estados Unidos atualmente, apesar de uma colheita quase recorde em andamento.

Nesta terça-feira, a gigante norte-americana ADM disse que seu resultado financeiro no último trimestre foi prejudicado pela forte competição imposta pelos grãos brasileiros aos produtores dos EUA.   Continuação...