Pressionada por automóveis, produção industrial tem pior mês de setembro da série

quarta-feira, 4 de novembro de 2015 10:03 BRST
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - O setor automotivo abateu a produção de bens de consumo duráveis em setembro e ajudou a aprofundar a retração da indústria brasileira, registrando o pior resultado para o mês na série histórica em meio à confiança abalada dos investidores diante da recessão econômica e crise política que assolam o país.

Mesmo com a alta na produção de Bens de Capital, uma medida de investimento, a indústria registrou queda de 1,3 por cento em setembro sobre agosto, o quarto resultado mensal negativo.

Com isso, a indústria fechou o terceiro trimestre com perdas de 9,5 por cento sobre o mesmo período do ano anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira.

No acumulado deste ano, as perdas já chegam a 7,4 por cento, superando o ano de pior desempenho da indústria, em 2009, com recuo de 7,1 por cento.

"Normalmente há uma trajetória positiva em setembro e outubro para atender às encomendas de fim de ano, mas não conseguimos enxergar isso este ano por conta da conjuntura ruim", afirmou o economista do IBGE André Macedo.

Em relação ao mesmo mês do ano anterior, a produção industrial teve perda de 10,9 por cento, 19º resultado negativo seguido nesse tipo de comparação e o mais forte desde abril de 2009 (-14,1 por cento).

A mediana das expectativas em pesquisa da Reuters era de recuo de 1,5 por cento na comparação mensal e de 11,4 por cento na base anual. [nL1N12Y1G0]

"Não há qualquer sinal de que a indústria já atingiu o fundo do poço. O setor deve se manter em trajetória de queda nos próximos meses diante da confiança em patamar muito baixo e estoques elevados", avaliou o estrategista-chefe do banco Mizuho, Luciano Rostagno.   Continuação...

 
Fábrica de alumínio em Pindamonhangaba, São Paulo.   24/06/2015   REUTERS/Paulo Whitaker