Justiça alemã ouvirá elétricas sobre desligamento de nucleares

quarta-feira, 4 de novembro de 2015 19:25 BRST
 

DUSSELDORF (Reuters) - A mais alta corte da Alemanha planeja ouvir no início do próximo ano queixas impetradas pelas maiores elétricas do país contra uma decisão de desligar antes do previsto suas usinas nucleares, disse um porta-voz do tribunal.

A audiência, que pode levar a ações com pedidos de reparação de bilhões de euros, vai ser agendada para fevereiro ou março, afirmou um representante da Corte Constitucional da Alemanha.

E.ON, RWE e Vattenfall entraram com queixas no tribunal depois de o governo decidir, em 2011, após o acidente nuclear de Fukushima, no Japão, fechar todas as usinas nucleares do país até 2022.

Embora não se oponham ao desligamento das usinas, as empresas reclamam que o movimento para acelerar o desligamento das centrais antes do prazo final violou direitos de propriedade e resultou em bilhões de euros em danos e perdas.

As elétricas veem perdas com a compra de energia no mercado para cumprir com compromissos contratuais que não poderiam mais ser atendidos após o desligamento das usinas e alegam custos maiores que o previsto com o descomissionamento.

A E.ON pede 8 bilhões de euros em reparação, enquanto a RWE não comentou o valor pedido --que analistas do Deutsche Bank estimam que poderia chegar a 6 bilhões de euros. A Vattenfall, com sede na Suécia, entrou com uma ação em um centro internacional para disputas entre investidores, baseado em Washington, em que pede reparação de 4,7 bilhões de euros.

(Por Tom Kaeckenhoff em Duesseldorf e Christoph Steitz em Frankfurt)