Barragem da mineradora Samarco se rompe em Mariana e causa morte

quinta-feira, 5 de novembro de 2015 22:45 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - Uma barragem de rejeitos da mineradora Samarco, joint venture da Vale com a australiana BHP, se rompeu nesta quinta-feira atingindo um distrito do município de Mariana, em Minas Gerais, e causando pelo menos uma morte.

Os rejeitos da barragem do Fundão da unidade de Germano avançaram sobre uma comunidade próxima ao distrito de Bento Rodrigues, atingindo 90 por cento da comunidade com cerca de 560 habitantes e 170 casas, disse o assessor de imprensa da prefeitura de Mariana, Juarez Messias.

A assessoria de imprensa do Hospital Monsenhor Horta, em Mariana, confirmou que recebeu cinco vítimas e que uma delas já chegou sem vida ao hospital.

Um vigia da prefeitura de Mariana, que relatou estar próximo do local no momento do incidente, relatou à Reuters que funcionários de uma empreiteira trabalhavam em reparos na barragem e foram soterrados, juntamente aos equipamentos.

"Senti a terra tremer na hora", disse o vigia.

A Samarco, uma das maiores exportadoras do Brasil, não tinha informações imediatas sobre vítimas, desaparecidos ou sobre as causas do rompimento da barragem.

As atividades na unidade de Germano foram paralisadas com o incidente, de acordo com a assessoria de imprensa da Samarco.

A Samarco produz principalmente pelotas de minério de ferro, a partir da transformação de minerais de baixo teor em um produto nobre, de alto valor agregado, e comercializado para a indústria siderúrgica mundial.

A capacidade produtiva da Samarco é de aproximadamente 30 milhões de toneladas anuais, segundo informação do site da companhia.

(Por Roberto Samora e Natalia Scalzaretto)