Executivos da Volkswagen temem viajar aos EUA, diz jornal

sábado, 7 de novembro de 2015 17:51 BRST
 

BERLIM (Reuters) - Executivos da Volkswagen estão preocupados em viajar para os Estados Unidos, noticiou um jornal alemão neste sábado, afirmando também que investigadores norte-americanos confiscaram o passaporte de um funcionário da montadora que estava de visita ao país.

A Volkswagen acredita que os investigadores querem impedir que o gerente evite prestar depoimento ou escape de um processo criminal relacionado ao escândalo sobre fraudes nos testes de emissão de gases dos carros da Volkswagen, disse o Suddeutsche Zeitung, citando fontes da empresa.

Um porta-voz da Volks disse: "Os funcionários da Volkswagen ainda estão viajando para os Estados Unidos. Todo o resto é especulação."

A Volkswagen é investigada nos EUA e pode receber punições de até 18 bilhões de dólares após ter admitido fraudar deliberadamente os testes de emissão de gases em carros movidos a diesel.

Mary Nichols, diretor do Comissão de Recursos Atmosféricos da Califórnia, que investiga a Volks, criticou o modo como a montadora tem lidado com o escândalo.

Citando uma pessoa com conhecimento do assunto, o jornal disse ser agora improvável que o novo presidente-executivo da Volkswagem, Matthias Mueller, viaje para os EUA na segunda metade de novembro, como antes planejado.

"Precisamos de segurança legal aqui antes de podermos voar para os Estados Unidos", disse uma pessoa da diretoria da companhia, segundo o jornal.

Não há um planejamento oficial para que o novo presidente-executivo, Matthias Mueller, vá aos EUA, e até o momento a Volkswagen tem negado comentar ao ser questionada sobre a probabilidade de tal viagem.

(Reportagem de Jan Schwartz)