Fusões e aquisições no setor elétrico desaceleram no 3° trimestre, diz KPMG

segunda-feira, 9 de novembro de 2015 16:19 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - As operações de fusões e aquisição no setor elétrico do Brasil desaceleraram no terceiro trimestre, com apenas cinco negócios fechados, ante 15 no mesmo período de 2014, informou nesta segunda-feira a consultoria KPMG.

No segundo trimestre deste ano, haviam sido registradas nove negociações, contra dez no primeiro trimestre; nos primeiros nove meses do ano, foram 24 negociações concretizadas, quase metade das 42 registradas na comparação anual.

Em nota, a KPMG destacou que quatro das cinco transações do terceiro trimestre foram aquisições de empresas brasileiras por agentes estrangeiros.

O sócio da KPMG, Paulo Guilherme Coimbra, disse que o investidor externo pode tirar proveito da instabilidade que a "indústria de energia está vivendo", com incertezas de acesso a financiamento e menor atratividade os leilões de energia do governo.

"Tudo isso gerou uma oportunidade para os estrangeiros, favorecidos também pela desvalorização do real frente ao dólar", disse Coimbra.

(Por Luciano Costa)