Sindicato rejeita nova tentativa da Lufthansa para acabar com greve

segunda-feira, 9 de novembro de 2015 18:28 BRST
 

FRANKFURT (Reuters) - O sindicato alemão dos comissários de bordo UFO rejeitou uma oferta mais atraente da Lufthansa nesta segunda-feira para acabar com a maior ação grevista na história da companhia que está custando à empresa ao menos 10 milhões de euros por dia.

A Lufthansa aumentou a oferta de pagamento extraordinário para 3.000 euros, ante 1.000 euros, e prometeu um reajuste salarial de 1,7 por cento no ano que vem e em 2017.

O sindicato rejeitou a oferta, dizendo que irá adiante com mais ações grevistas planejadas para terça-feira, o que deve afetar voos de longa distância, que são mais lucrativos. A Lufthansa afirmou que 136 voos devem ser cancelados na terça-feira.

Mais de 110.000 passageiros na base central da Lufthansa, em Frankfurt, e nas cidades de Munique e Dusseldorf foram afetados pela greve motivada por benefícios para aposentadoria antecipada e pensões, que afetou quase 1.000 voos na segunda-feira.

"Os danos concretos só ficarão claros nas próximas semanas, quando saberemos quantos passageiros pediram reembolso, quantos foram remarcados e quantos passageiros acomodamos em hotéis", disse um porta-voz a repórteres no aeroporto de Frankfurt.

Porém, as perdas estão "claramente na casa dos dois dígitos de milhões de euros", acrescentou.

(Por Karolin Schaps; com reportagem adicional de Peter Maushagen e Kirsti Knolle)

 
Aviões da Lufthansa em solo no aeroporto internacional de Munique, na Alemanha, nesta segunda-feira. 09/11/2015 REUTERS/Michael Dalder