China vai manter suporte de políticas fiscal e monetária à economia, diz premiê

terça-feira, 10 de novembro de 2015 11:15 BRST
 

PEQUIM (Reuters) - A China vai manter o suporte das políticas fiscal e monetária à economia no momento em que encara obstáculos provocados pelo enfraquecimento da economia mundial e ajustes estruturais domésticos, disse o primeiro-ministro, Li Keqiang, nesta terça-feira.

Li disse que o país enfrenta desafios para alcançar seu objetivo de impulsionar o Produto Interno Bruto (PIB) per capita para 12 mil dólares até 2020 a fim de evitar a armadilha da renda média, já que o crescimento deve se manter fraco e a economia doméstica pode ser prejudicada por problemas estruturais.

O governo vai contar tanto com a política fiscal quanto com a monetária para sustentar a economia, enquanto promove inovações, disse Li.

"Nós devemos fazer bom uso da política fiscal proativa e intensificar razoavelmente os cortes de impostos", disse ele em uma reunião com especialistas e representantes de companhias.

"Nós devemos inovar as ferramentas de política monetária para ajudar a diminuir os custos de financiamento das empresas", complementou, sem elaborar.

O presidente, Xi Jinping, disse que a China tem que manter o crescimento médio anual de não menos de 6,5 por cento nos próximos cinco anos para atingir a meta do país de dobrar o PIB e a renda per capita de 2010 até 2020.

 
Primeiro-ministro da China, Li Keqiang, durante evento em Pequim.  29/10/2015  REUTERS/Muneyoshi Someya/Pool