Bovespa anula perdas e fecha quase estável, mas com giro fraco por cenário local instável

terça-feira, 10 de novembro de 2015 18:32 BRST
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou com o seu principal índice praticamente estável nesta terça-feira, reduzindo as perdas no final do pregão, em meio ao avanço dos papéis de fabricantes de celulose e do BB Seguridade por notícias específicas às companhias.

O estímulo que anulou a queda no ajuste de fechamento veio após o serviço em tempo real Valor Pro noticiar que o ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, estaria convidando líderes políticos governistas para discutir cenários econômicos para o Brasil.

Nesse contexto, o Ibovespa subiu 0,03 por cento, e fechou na máxima do dia, a 46.207 pontos. Na mínima, o índice chegou a cair 1,7 por cento.

O giro financeiro totalizou 4,76 bilhões de reais, abaixo da média do ano de quase 7 bilhões de reais, conforme persistem incertezas políticas e econômicas locais, além da apreensão com a possibilidade de alta dos juros nos Estados Unidos e a desaceleração da China.

Reportagens publicadas na mídia nas últimas 24 horas voltaram a aventar a possibilidade de saída do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, bem como novo revés sofrido pelo ministro quanto ao ajuste fiscal.

De acordo com reportagem publicada pelo Valor Pro nesta tarde, Meirelles estaria convidando líderes políticos para conversar com autorização do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e as conversas estariam sendo interpretadas pelos interlocutores como sondagens sobre eventual ingresso do mesmo no governo, em substituição a Levy.

Alguns profissionais do mercado veem o país em um 'equilíbrio instável', observando que, na bolsa, o permanente ruído político vem reduzindo a liquidez, conforme investidores preferem ficar de fora do mercado em meio à volatilidade.

Do exterior, dados sobre a inflação chinesa reforçaram nesta sessão o temor com o desaquecimento daquela economia.   Continuação...