11 de Novembro de 2015 / às 14:41 / em 2 anos

Samarco para pelotização no ES por desastre em Mariana, diz prefeito

MARIANA, Minas Gerais (Reuters) - As unidades de pelotização da Samarco em Ubu, no Espírito Santo, vão interromper a partir desta quarta-feira a produção, já que ficaram sem estoques após as minas da companhia em Mariana (MG) paralisarem a extração devido ao rompimento de duas barragens de rejeitos na última quinta-feira, afirmou o prefeito de Mariana, Duarte Júnior (PPS), a jornalistas.

Procurada, a companhia não comentou imediatamente a informação dada pelo prefeito nesta quarta-feira.

A Samarco, uma joint venture da Vale e da anglo-australiana BHP Billiton, conta com quatro pelotizadoras no Espírito Santo.

Anteriormente, a Samarco havia dito que as pelotizadoras funcionariam até terminarem os estoques de minério.

A prefeitura de Mariana apontou nesta quarta-feira oito mortes pelo desastre, acrescentando que apenas quatro vítimas tinham sido identificados.

O prefeito, que se reuniu com representantes da Samarco, afirmou ainda que a companhia se comprometeu em não demitir funcionários diretos e evitar ao máximo reduzir a força de trabalho de funcionários indiretos.

Para isso, enquanto atividades estão paradas, um número de empregados não informado ficaria de férias coletivas até o fim de dezembro.

Atualmente, segundo Duarte Júnior, a companhia tem 1.797 funcionários diretos e 1.586 indiretos.

O prefeito também destacou que pediu reuniões com os presidentes da Vale e da BHP, e que pretende pedir para que as companhias arquem com os prejuízos do município com o desastre.

Os presidentes-executivos da Vale, Murilo Ferreira, e da BHP, Andrew Mackenzie, deverão falar com jornalistas nesta quarta-feira.

A prefeitura também quer que as empresas paguem despesas para o funcionamento normal de Mariana, que projeta uma queda de receita devido a uma redução de pagamentos de impostos oriundos da mineração.

Atualmente, 80 por cento da arrecadação vem da atividade mineradora do município.

"Nós entendemos que é obrigação dessas empresas manterem os serviços essenciais... Nós entendemos que eles têm que arcar com as despesas do município de Mariana", afirmou o prefeito, a jornalistas.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below