Usinas brasileiras podem aumentar produção de açúcar na próxima temporada, diz Biosev

quarta-feira, 11 de novembro de 2015 19:51 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Biosev, unidade brasileira de açúcar e etanol da trading de commodities francesa Louis Dreyfus, vê potencial para as usinas do centro-sul terem um mix mais favorável ao açúcar na próxima temporada, desde que o adoçante esteja pagando um prêmio sobre o etanol, disse o presidente-executivo da companhia, Rui Chammas, nesta quarta-feira.

Mas a possível mudança no mix de produção não seria suficiente para alterar o cenário de déficit global esperado para o mercado de açúcar em 2016/17, ele disse durante uma conferência com analistas.

"Quando consideramos a nova safra (2016/17), vemos que há um potencial para que seja mais pesada em açúcar (produção)", disse o executivo da Biosev, segunda maior processadora de cana com uma moagem de cana estimada em até 32 milhões de toneladas este ano.

De acordo com a associação do setor (Unica), as usinas estavam alocando 58,2 por cento da cana para a produção de etanol em média no fim de outubro, como resultado de retornos mais altos pelo biocombustível anteriormente este ano e a necessidade de algumas empresas de gerar dinheiro rapidamente por meio do muito líquido mercado local de combustíveis.

Quando questionado por um analista se as usinas poderiam alocar até 60 por cento da cana no próximo ano para a produção de açúcar, Chammas disse que isso não era provável.

"Eu não acho que a indústria hoje tenha a flexibilidade para ir até 60 por cento do mix em favor do açúcar", ele disse.

(Por Marcelo Teixeira)