Custo total da Samarco com desastre pode chegar a bilhões, dizem fontes do governo

quinta-feira, 12 de novembro de 2015 18:25 BRST
 

Por Alonso Soto e Leonardo Goy

BRASÍLIA (Reuters) - O governo federal acredita que chegará na casa dos bilhões de dólares a conta total a ser paga pela Samarco, joint venture entre a brasileira Vale e a anglo-australiana BHP Billiton, por conta do desastre ocorrido com o rompimento de duas barragens em Mariana (MG), disseram duas fontes do governo, sob a condição de anonimato.

Nesta quinta-feira, a presidente Dilma Rousseff anunciou uma multa "preliminar" de 250 milhões de reais à Samarco, ao responsabilizar a mineradora pela tragédia da semana passada que matou ao menos oito pessoas, deixou vários desaparecidos, além de ter destruído localidades e causado danos ambientais.

Segundo uma fonte do Palácio do Planalto, considerando todas as multas, ações judiciais, indenizações e despesas com a limpeza, a conta pode chegar na casa dos bilhões de dólares. A informação foi confirmada por outra fonte, na área econômica do governo.

"Essa multa é só o começo. Isso vai estar na casa dos bilhões de dólares, como com a BP (petroleira)", disse a fonte do Planalto, referindo-se às despesas da petroleira britânica decorrentes do derramamento de óleo no Golfo do México em 2010.

Recentemente, a BP fechou um acordo de mais de 20 bilhões de dólares com autoridades dos Estados Unidos por conta do acidente.

Segundo uma outra fonte do governo federal, além das multas a serem aplicadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), o órgão ambiental está elaborando, juntamente com a Advocacia-Geral da União (AGU), uma ação por danos coletivos contra a Samarco.

O cálculo dos valores envolvidos ainda depende de avaliações do Ibama, mas, segundo essa fonte, "fala-se em 1 bilhão de reais".

O deputado Leonardo Quintão (PMDB-MG), relator do Código de Mineração na Câmara, também estima que a mineradora e seus sócios deverão pagar uma conta bilionária.   Continuação...