Wall Street sofre maior queda diária desde setembro

quinta-feira, 12 de novembro de 2015 20:33 BRST
 

Por Noel Randewich

(Reuters) - As ações norte-americanas tiveram seu pior pregão em mais de um mês nesta quinta-feira, com os preços menores das commodities pressionando papéis de energia e matéria-prima, e comentários de um membro do Federal Reserve sugeriram proximidade de um aumento da taxa de juros.

O índice Dow Jones caiu 1,44 por cento, a 17.448 pontos, o S&P 500 recuou 1,4 por cento, a 2.045 pontos, enquanto o Nasdaq caiu 1,22 por cento, a 5.005 pontos.

A queda afetou todos os 10 principais setores do S&P e empurrou os índices Dow e S&P500 para baixo de suas médias de móveis de 200 dias, o que alguns traders acreditam que prenuncia mais declínios.

Investidores mantêm um olhar atento sobre se o Fed vai aumentar em dezembro a taxa de juros pela primeira vez em quase uma década, como é amplamente esperado após a divulgação de fortes dados do mercado de trabalho dos Estados Unidos.

Em um discurso nesta quinta-feira, a chair do Fed, Janet Yellen, não fez comentários sobre a economia ou o momento de um aumento dos juros.

Mas o presidente do Fed de Nova York, William Dudley, disse que "é bem possível que as condições definidas pelo Comitê Federal de Mercado Aberto para começar a normalizar a política monetária sejam atendidas em breve."

(Reportagem adicional de Abhiram Nandakumar, em Bangalore)