Com aumento de estoques de milho, China busca reduzir produção até 2020

sexta-feira, 13 de novembro de 2015 19:36 BRST
 

PEQUIM (Reuters) - A China está planejando cortar a produção doméstica de milho ao longo dos próximos cinco anos para ajudar a diminuir seus estoques estatais inflados, que podem ter oferta equivalente a mais de um ano de consumo, disseram fontes da indústria.

Os cortes de produção feitos pelo segundo maior consumidor de milho do mundo também ajudariam a reduzir os estoques globais, que atingiram uma máxima recorde.

A China pretende eventualmente reduzir a área de cultivo destinada ao milho em cerca de um quinto, visando uma safra de 175 milhões de toneladas até 2020, disseram três fontes da indústria, citando propostas da Comissão de Reforma e Desenvolvimento, o maior organismo de planejamento do país.

Isto seria uma queda de 24 por cento ante a estimativa de recorde de 229 milhões de toneladas para o ano comercial 2015/16.

"A área de milho na China mudará de rumo a partir do ano que vem e cairá gradualmente a cada ano ao longo dos próximos cinco anos," disse uma fonte com um grupo de pesquisas do governo.

(Por Niu Shuping e David Stanway)