Acordo com Iraque e descoberta de gás podem ajudar Egito a se tornar exportador de energia

segunda-feira, 16 de novembro de 2015 17:14 BRST
 

CAIRO (Reuters) - O aumento da produção de energia doméstica nos próximos anos pode permitir ao Egito reexportar petróleo iraquiano como parte de um plano maior para se tornar um centro de exportação de energia, disse o ministro do Petróleo do Egito Tarek El Molla à agência estatal de notícias nesta segunda-feira.

Os comentários de El Molla vieram um dia após o Egito assinar um acordo com a Jordânia e o Iraque para permitir que o petróleo e o gás natural do Iraque fluam através da Jordânia e chegue ao Egito, potencialmente para reexportá-los para os mercados europeus.

A produção em Zohr, o enorme campo mediterrâneo de gás descoberto pelo grupo de energia italiano Eni, deve começar até o fim de 2017. A produção se iniciará entre 700 milhões e 1 bilhão de pés cúbicos por dia em 2019, disse El Molla.

Espera-se que a concessão da BP ao norte de Alexandria comece a produção no início de 2017 e deva adicionar mais 1,2 bilhão de pés cúbicos de gás por dia até o fim de 2019.

"Esperamos que durante 2020 a 2022 sejamos capazes de nos tornar autossuficientes e diminuir as importações para que o Egito se torne um polo regional de energia", disse El Molla à agência MENA.

(Por Eric Knecht)