Chuvas fazem casos de ferrugem da soja dobrar no início da safra do Brasil

terça-feira, 17 de novembro de 2015 19:04 BRST
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO (Reuters) - Após um início de safra de soja 2015/16 bastante chuvoso no Sul do país, os casos de ferrugem asiática, uma doença fúngica que ataca as plantas em condições úmidas, já são duas vezes mais numerosos que no ano passado, mostram dados do setor.

Os relatos de ferrugem desde o início de junho até o momento totalizam 66 casos no Brasil, sendo 29 no Rio Grande do Sul e 17 no Paraná, segundo o Consórcio Antiferrugem, uma parceria público-privada criada há mais de uma década para monitorar a presença da doença, que já causou grandes prejuízos ao setor produtivo nos momentos em que não foi combatida adequadamente.

No mesmo período do ano passado, os casos de ferrugem da soja eram 36.

"O El Nino tem maior média de chuvas na região Sul e isso favorece a ferrugem", destacou a fitopatologista da Embrapa Soja, Cláudia Godoy, referindo-se ao fenômeno climático que ocorre com forte intensidade nesta temporada e tende elevar o volume de chuvas no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e até sul de Mato Grosso do Sul e São Paulo.

O El Niño deverá fortalecer-se antes do fim do ano e tornar-se a mais forte já registrado, disse na segunda-feira a Organização Meteorológica Mundial, ligada à ONU.

Segundo a Somar Meteorologia, a safra de grãos 2009/10 foi última safra sob influência de El Niño no Brasil.

No início daquela temporada, entre junho e meados de novembro, o Consórcio Antiferrugem havia registrado 30 casos.

"Há tendência altíssima de ferrugem para toda esta temporada", disse o agrometeorologista Marco Antônio dos Santos, da Somar, apontando bons volumes de chuva mesmo no período de colheita.   Continuação...